quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Brisas...


Um vento repleto de sonhos, que provoca a dança das folhas da tremenda árvore do destino.
Destino injusto, envolvido em sensações como um som mágico inconfundível.
Um som das tuas mãos, um toque das tuas palavras.
O sussuro das folhas, a luz da lua no teu olhar.
O surgir da estrela no pleno céu azul.
No meu céu? Não, no NOSSO céu!
O céu do prazer...
E o vento acaricia levemente as pétalas do meu ser. E o vento transporta a música de ti.
E a música somos tu e eu.
A Lua e o Sol.
O Vento e as Pétalas.
A música somos Nós.
O teu toque ajeita-se com cada palavra tua.
E o nosso céu torna negro quando o dia acaba.
E o teu olhar já não reflecte a Lua.
E o Sol já não provoca o calor que tudo emanava.

Sem comentários: