terça-feira, 25 de março de 2008

Força. Dá.

És as lágrimas que me escorrem pela cara.
Causas-me a dor mais aguda que sinto.
És raiva que me ferve o sangue.
Os gritos de desilusão.
As promessas estranguladoras.

Da tua boca saem lanças que me destroem,
Das tuas mãos espinhos que me magoam.

Muito.

A maior dor que posso sentir causas-ma tu!

Quero poder ser eu.
Quero confiar-me a ti.
Preciso de ti.
Eu já desisti.
Restas só tu.
Agora não desistas também.

Sem comentários: