quarta-feira, 12 de março de 2008

No Silêncio.


Na noite silenciosa,
Vejo algo forte, grandioso.
No silêncio sinto-te!
Ouço o bater do meu coração,
O acelerar da vida no meu corpo!
No silêncio ouço-te!
Capto todas as tuas palavras, breves e intensas,
Aprisiono a melodia da tua voz, tão pura!...
E quando me segredas ao ouvido?
Um simples sussurro faz-me sonhar...
Em silêncio.
Um ar claro mas notório,
Sinto-te em mim, mesmo que aqui comigo não estejas.
Nesta noite tão silenciosa.







2 comentários:

Anónimo disse...

perfeito gaja!!! escreves com a alma, e com sentimento...acabas por ser subjectiva..mas sencivel...bjs do xiribiri adrt gaja

Anónimo disse...

Jonana, escreves de corpo e alma, as palavras parecem sair da tua boca . . . .

Inpiras'te

Raparigaa, TEMOS ESCRITORA !