segunda-feira, 30 de junho de 2008

Magia!

Chegámos lá. Antes, pensámos chegar ao extremo daquele caminho e lá pousar. Mas não, estava lá alguém com uma luz.
Então, sentámo-nos na beira do caminho e descemos, até às rochas negras que delimitam aquele calçadão que termina com o farol. Estava uma noite espectacular, depois de duas outras que tais... Saltitámos por cima dos pedregulhos, eu com medo. Mas tu seguro de ti. E de mim. Sentámo-nos naquele local mágico por horas que pareceram segundos. Dissemos coisas bonitas um ao outro. Selámos desejos, vontades e confissões àquele mar que estava lá só para nós. Aquelas estrelas, uma delas que caíu, fizeram as nossas delícias naquele instante, que se prolongará para sempre... Depois o céu começa a iluminar-se. A partir do horizonte vê-se uma lista horizontal laranja, um laranja quente e doce, uma pincelada fina de azul e na acendência do céu, negro. Sinto nesse momento a tua mão suave a percorrer a minha face e a chegá-la à tua. Sinto um toque nos lábios e um beijo com o mesmo sabor daquele céu mágico. Deito-me de novo, aconchego-me a ti e no silêncio das nossas palavras começa, lentamente, a surgir um azul ténue e claro. E uma brisa fria, que nos fez deixar aquele paraíso e acordar daquele sonho tão real...