domingo, 5 de abril de 2009

Sorte

Há realmente muito que não escrevia. Não tenho tido tempo nem inspiração. Nem sequer hoje a tenho.
Balanço-me constantemente em emoções estúpidas. Não estúpidas, talvez inúteis. E o destino, ou vá, as minhas atitudes, porque não acredito no destino, o destino somos nós que o traçamos.
Como dizia.
Nem sei o que dizia.
Ou se calhar não quero saber. Sei exactamente o que se passa mas não quero enfrentá-lo. Não me quero magoar. Mas continuo a insistir. E porquê? Eu sei o porquê. Sempre soube. Mas continuo a arriscar tudo por coisas momentâneas. A todos os níveis da minha vida. Ponho os trunfos todos em cima da mesa, na hora. Apenas porque quero. O querer é o pior que um ser humano como eu pode ter.