domingo, 10 de maio de 2009

Sumol Summer Fest

 

BORAA!!!!

 

http://www.festivaisverao.com/Festivais/sumol-summer-fest.html

main_01_04

Aqui está uma espécie de plano…

Origem Destino Partida Chegada Meio de T Preço
Portimão Lisboa 06.20h 09.30h Bus Eva 19,00 €
Lisboa (Sete Rios) Lisboa (Cp. Grande)     Metro 0,80 €
Lisboa (Cp. Grande) Ericeira 11.10h 12.45h Mafrense 6,65 €
FESTIVAL Ribeira D'Ilhas       40 €
Ericeira Lisboa (Cp. Grande) 16.28h 17.42h Mafrense 6,65 €
Lisboa (Cp. Grande) Lisboa (Sete Rios)     Metro 0,80 €
Lisboa (Sete Rios) Portimão 18.30h 21.40h Bus Eva 19,00 €
          92,90 €

 

 

Aceitam-se boleias, donativos e sugestões!

 

O Verão começa lá! ;)

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Michael Phelps: Bongo (?)

Numa das minhas tardes em que tento remediar a oferta radiofónica disponível da cidade de Portimão, por achar cada vez mais que as rádios portuguesas estão completamente de rastos, já que não há grande variedade de estilos, decidi ouvir online a Rádio Oxigénio

Nessa tarde, despertou-me uma conversa entre os dois locutores. Falavam de Michael Phelps, que foi fotografado a fumar substâncias ilícitas (num bongo!, já virama classe? ).

O atleta prodígio dos Jogos Olímpicos de Pequim teve realmente muito azar. O rapaz tem os seus vinte anos, ganhou as oito medalhas… Deixem-no em paz… Realmente é inaceitável…

… que tenham a coragem de ganhar “uns trocos” com a foto do rapaz a aproveitar um momento de pura paz. Se acontecesse isto aqui pelas bandas de Portimão, creio que deixaríamos todos de ter problemas com dinheiro.  E olhem que não é preciso pedalar muito!

Como curiosa que sou, fiz a típica pesquisa no Google, “Michael Phelps Bong”. Depois, cambaleei até ao YouTube, onde aparece, numa entrevista, uma jornalista a perguntar, “Michael, em quê que estavas a pensar?” Pois se fosse eu… Responderia de imediato… “Amiga, FREEDOM TO THE HEAD!!”

Mais uma vez repito: O rapaz tem 20 e tal anos, tem metros, medalhas e dinheiro no banco suficiente para ser responsável pelas atitudes. Deixem-no lá curtir a “adolescência” como quer… Vão agora estragar a reputação do nadador por uma noite de sauna…

A outra dá na branca em palco e não é por isso que a música dela deixa de passar na rádio…….

domingo, 3 de maio de 2009

E eis que.

Os meus pés, forçosamente, numa tentativa de razoabilidade, são empurrados para terra.

Mas, mesmo assim, deixo-me (e)levar.

O meu corpo amolece, desmaterializa-se, como se boiasse num mar salgado, ou estivesse mergulhado numa água quente e vaporosa.

Começo vagarosamente a descolar do chão, como se algum fio de sedela exercesse algum tipo de força elevatória sobre o meu corpo imaterial.

Fico leve e os pés abandonam a terra, ligeiros… Primeiro um pé, que se eleva ascendentemente, vagarosamente. Depois o outro, descalço e alvo, começando por elevar o calcanhar do solo, seguidamente dos dedos, que um por um, completam o meu flutuo aéreo.

E deixo de sentir a terra.

Olhos fechados, corpo esvoaçante. Ganhei asas sem forma e voei por emoções longínquas.

Mas, de súbito, algo exterior ao meu íntimo mais puro segreda-me e diz-me.

O meu corpo retoma o seu peso. Os pés, esses atingem novamente o chão, frio e desconfortável. Os olhos abrem, repentinos. O meu lado racional retoma as funções anteriormente adormecidas. Mas eu desperto realmente? Não.

Dentro de mim permanece uma nuvem de Outono que não escurece, mas que me ofusca.

Tento despertar, ficar atenta, racional.

Contudo sou dominada, perturbada, completamente preenchida pelas batidas do meu coração, ou por uma entidade que ainda nem estou certa da sua existência…

E eis que.