quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Frio


A porta já não range nem há passos no corredor,
naquele chão já não.
A caneca amarela não fumega mais.
O chá já está frio, arrefeceu
A janela branca ficou aberta
mas a chuva não entra.
Ficou lá fora,
não quis estragar as tábuas
(que a água apodrece o soalho).

A chuva espera,
a chuva não se cansa.

Sem comentários: